Jornal: Diretoria do PSG já estuda demissão de Unai Emery e monta lista de 5 favoritos ao cargo

ESPN.com.br
EFE/RONALD WITTEK
Unai Emery durante a derrota do PSG para o Bayern de Munique
Unai Emery durante a derrota do PSG para o Bayern de Munique

Segundo o jornal L'Équipe, mais importante veículo esportivo francês, a diretoria do Paris Saint-Germain ficou extremamente irritada com as derrotas recentes para Strasbourg, pelo Campeonato Francês, e Bayern de Munique, pela Uefa Champions League, e já estuda a demissão do técnico Unai Emery. 

Segundo o diário, inclusive, já existe até mesmo uma lista de cinco favoritos para assumir o cargo.

O preferido do presidente do PSG, Nasser Al-Khelaifi, e do diretor esportivo Antero Henrique é o espanhol Luis Enrique, que está passando por ano sabático desde que deixou o Barcelona ao final da última temporada.

O ex-atacante é visto como um treinador já preparado para a pressão do clube da capital francesa, ao mesmo tempo em que seria uma contratação descomplicada, já que não está vinculado a nenhuma equipe - e, portanto, não tem multa rescisória.

Depois de Luis Enrique, os outros favoritos são os italianos Massimiliano Allegri (Juventus) e Antonio Conte (Chelsea), o argentino Diego Simeone (Atlético de Madri) e o português José Mourinho (Manchester United). 

Assista aos melhores momentos de Strasbourg 2 x 1 PSG

O luso, porém, é motivo de discordância entre Al-Khelaifi e Antero Henrique, já que o diretor considera que o estilo do Special One não casa com a filosofia ofensiva que está sendo montada no PSG.

Quanto a contratos, Conte e Mourinho possuem vínculos com suas equipes até 2019 (o português tem opção de renovar por mais uma temporada), enquanto Allegri e Simeone assinaram até 2020.

Desde que assumiu o time francês, em 28 de junho de 2016, quando assinou contrato de três anos, Unai Emery tem aproveitamento de 76,25% dos pontos: são 61 vitórias, 11 empates e só oito derrotas em 80 partidas. 

Daniel Alves lamenta derrota do PSG: 'Foi um dia duro'

Contudo, na temporada passada ele irritou muito a diretoria do clube ao perder por 6 a 1 para o Barcelona, sendo eliminado da Liga dos Campeões da maneira vexatória, além de ter ficado atrás do Monaco na disputa pelo título da Ligue 1.

O espanhol ainda ganhou um voto de confiança para 2017/18, mas seu relacionamento complicado com o brasileiro Neymar, principal contratação da última janela de transferências, além do desempenho recente da equipe o colocaram novamente na corda bamba.

Desta vez, é difícil saber se ele irá resistir...