Uma lesão o tirou do Corinthians. Hoje, ele luta para renascer na Série B e conquistar o acesso

Vladimir Bianchini, do ESPN.com.br

Gazeta Press
Wallace duela contra Tiago Luís, do Goiás, em jogo pela Série B de 2017
Wallace duela contra Tiago Luís, do Goiás, em jogo pela Série B de 2017

Em 2014, Wallace Santos Acioli vivia o melhor momento da carreira. Após jogar pelo Porto de Caruaru no Campeonato Pernambucano, ele virou titular e destaque do Boa Esporte-MG no começo da Série B do Campeonato Brasileiro.  Com isso, teve a chance de chegar a um grande clube.

"Estava quase tudo certo para ir ao Corinthians e o presidente do Boa até falou comigo. Eu vinha muito bem e isso tinha chamado atenção deles, que precisavam de um zagueiro naquela época", disse, ao ESPN.com.br

Durante o jogo válido pela sexta rodada da 2ª Divisão contra o Luverdense fora de casa, porém, os planos do defensor foram desfeitos.  Ele sofreu uma grave lesão aos 31 minutos do primeiro tempo. 

"Eu tive um rompimento no ligamento cruzado anterior. Isso me prejudicou bastante porque estava bem certo, mas demorei para me recuperar e esfriou a negociação".

"No ano seguinte, após retornar aos gramados, meu empresário estava negociando com o São Paulo, mas tive umas complicações no joelho e não andou".

Ano passado, Wallace deixou o Boa Esporte-MG e passou por Sergipe-SE, Mirassol até chegar ao Paraná Clube, no meio de 2017.

Veja gols de Paraná Clube 2 x 0 Luverdense

  • De Maceió para Curitiba

Natural de Maceió-AL, Wallace fez testes em clubes como Santos, Cruzeiro e Internacional, porém, não conseguiu ser aprovado. 

"Eu ia mais por indicação dos amigos, esse negócio de teste era difícil. Como eu não tive base era complicado porque era muito jovem também", explicou.

Aos 16 anos, o garoto chegou a desistir de ser jogador de futebol profissional e focar apenas nos estudos, mas recebeu uma chance que mudaria sua vida. 

"Dois amigos meus me levaram ao Ypiranga-PE e foi onde tudo começou mesmo. Joguei pelos juniores e fui ao Náutico depois que me destaquei em um jogo contra eles".

Gazeta Press
Wallace em jogo contra o Palmeiras
Wallace em jogo contra o Palmeiras

Após se profissionalizar, ele saiu do time pernambucano por "problemas com empresário" e rodou por vários clubes até chegar ao Mirassol, para a disputa do Paulistão deste ano.

“Joguei contra o São Paulo, que tem o Lucas Pratto. É o cara mais me deu trabalho em toda carreira. Ele é um falso lento, muito inteligente mesmo e experiente”, relatou.

Depois do Estadual, Wallace foi emprestado ao Paraná Clube até o final do ano para jogar a Série B do Campeonato Brasileiro.

"Tinha vindo boas propostas e decidi vir par cá. Joguei no começo da Série B, mas depois com a troca de treinador o time deu liga com a o Rayan e o Brock. Com isso, não tive uma sequência. Fiz sete partidas e fui bem”, garantiu.

Restando três rodadas para o fim da Série B, o Paraná ocupa a quarta posição com 59 pontos ganhos, dois a mais do que o Oeste, quinto colocado.

“Estamos muito confiantes no acesso. O elenco é muito qualificado e temos excelentes jogadores. Quem joga dá conta do recado. Creio que vai dar tudo certo e vamos colocar o Paraná depois de dez anos na Série A”.

Assista ao gol da vitória do Paraná sobre o Vila Nova por 1 a 0!

Na reserva, o futuro do zagueiro de 26 anos ainda é incerto após o final da temporada. “Ainda não conversei se vou ficar ou não. Estou esperando acabar a competição para definir qual será o meu destino”, finalizou.