R$ 510 milhões em nove meses: em ano decepcionante em campo, Flamengo bate recorde de receita

ESPN.com.br
Getty
Torcedor do Flamengo, no clássico contra o Fluminense, na Copa Sul-Americana
Torcedor do Flamengo, no clássico contra o Fluminense, na Copa Sul-Americana

O Flamengo vai confirmar em 2017, ano decepcionante até aqui dentro das quatro linhas, seu recorde em receitas. Apenas nos nove primeiros meses do ano, a arrecadação já chegou a R$ 509,9 milhões, como revelou resultado financeiro do terceiro trimestre, praticamente igualando o ganho de 2016. 

Segundo o orçamento rubro-negro, a previsão é que o clube arrecade R$ 632,7 milhões, superando o recorde anterior, estabelecido no último exercício, com R$ 510,1 milhões em 2016.

Há um ano, o resultado acima dos R$ 500 milhões teve contribuição significativa das luvas recebidas por assinatura de novo contrato de direitos de televisão. Já nesta temporada, os ganhos disparam com a entrada do dinheiro da venda de Vinícius Junior ao Real Madrid – R$ 150,4 milhões, segundo o balanço. 

Entre as receitas, a maior fatia, inclusive, vem de repasse de direitos federativos, totalizando R$ 180,7 milhões, considerando também os R$ 29,8 milhões recebidos do Monaco pelo lateral Jorge.

A segunda maior fonte de arrecadação do Flamengo até setembro é com direitos de transmissão, R$ 153,4 milhões, seguido por patrocínio (R$ 65,9 milhões), bilheteria (R$ 47,3 milhões) e programa de sócio-torcedor (R$ 31,7 milhões) – todas marcas superiores ao mesmo período no ano anterior.

Lucas Paquetá comemora bom momento de 'amigos' no Flamengo e mira o G-4

Com mais dinheiro nos cofres, o clube também aumentou os gastos. No terceiro trimestre de 2016, as despesas eram de R$ 207,2 milhões, marca que subiu para R$ 325,1 milhões nesta temporada – a maior quantia vai com salários, R$ 132,6 milhões (há um ano, no mesmo período, eram R$ 96 milhões).

Ainda assim, o lucro flamenguista é bem maior até aqui em 2017. O superávit até setembro é de R$ 156,2 milhões, enquanto há um ano era de R$ 57,3 milhões.

Ao final da temporada de 2016, os rubro-negros fecharam o ano com resultado positivo de R$ 153,4 milhões. No orçamento deste ano, a previsão é de superávit de R$ 155,1 milhões.